Europa

Turismo na Irlanda: 5 lugares imperdíveis para conhecer

Em abril de 2015 fiz uma viagem pela Inglaterra, Escócia e Irlanda, minha última parada. A Irlanda foi uma agradável surpresa. Dublin, a capital do país, é uma cidade pequena, jovial e animada. Já o interior da Irlanda é de um verde ímpar e ganhou um pedacinho do meu coração. A Irlanda é muito mais que U2, whisky (whiskey como eles chamam), cerveja e leprechauns.

Mas, afinal, quais os 5 lugares imperdíveis para conhecer na Irlanda ? O que não pode faltar no seu roteiro? Vem comigo!

1. Cliffs of Moher

cliffs-of-moher

Cliffs of Moher é o cenário natural mais famoso e visitado da Irlanda, mais de 1 milhão de pessoas por ano. São falésias – paredões quase retos que desaparecem no Oceano Atlântico – localizadas a 267km de Dublin.

Chegando lá podemos caminhar ao longo da costa, admirando as várias formações dos Cliffs. Há alguns caminhos possíveis. O oficial é de fácil acesso, pavimentado, com escadas e rampas. Outros, em terra, às vezes na beira do precipício. Nesses há várias placas avisando para tomar cuidado com deslizamento e não escorregar. Tipo, “você está seguindo por sua conta e risco”! Com o dia bonito foi tranquilo fazer essa parte do caminho, mas em dia de muita chuva ou vento todo o cuidado é pouco.

Os Cliffs of Moher se estendem por quase 8km, cuja altura média é de 120m, sendo que onde está localizada a O’Brien Tower chega a 214m. Essa torre, aliás, é um ótimo ponto de visualização, porém o valor do seu ingresso é à parte, pago na hora em dinheiro (€2.00). Depois de pagar é só subir uma escadinha em caracol meio mambembe até o topo da torre e admirar um outro ângulo das falésias O topo da torre é apertado, então se estiver cheio será preciso paciência para conseguir uma boa foto.

Se você estiver viajando por conta própria, uma dica: saindo de Doolin (cidade próxima aos Cliffs) há passeios de barco pelas falésias Duram cerca de 1h.

Contrate agora o seu tour saindo de Dublin para os Cliffs of Moher

2. Guinness Storehouse

guiness-dublin

guiness-experience

Você deve estar estranhando colocar a visita em uma cervejaria na lista, mas a fábrica da Guinness é simplesmente a atração mais visitada de Dublin! Só isso!

A Guinness Storehouse é um antigo galpão onde por seus 7 andares aprendemos tudo sobre a famosa cerveja, criada em 1759. A atração é muito bem estruturada, super organizada e de alta tecnologia, bom gosto e capricho. Há uma grande interatividade durante todo o passeio. As horas voam lá dentro e mesmo se você não gostar de beber cerveja (como eu!) vai se divertir.

Somos apresentados à fabricação da cerveja, com explicações técnicas de um modo bem simples. Há também uma área voltada para propaganda da cerveja, exibindo campanhas clássicas e em uma grande sala com um telão em 180° os vídeos de propagandas atuais. Muito legal!

Não pode, claro, faltar beber a cerveja!!! Há uma sessão de degustação de um copo pequeno, com a explicação de um guia do modo certo de beber e outras curiosidades. Depois, no último andar, somos brindados com um pint da Guinness no Gravity Bar, onde temos uma vista 360° de Dublin (ninguém dá a mínima para a vista… Por que será?! rsrs)

Veja também: Melhores hotéis em Dublin

O final do passeio termina, claro, na “lojinha” para lembrancinhas. Entre aspas porque é uma mega loja, com tudo o que você pode imaginar com a marca Guinness, pode-se até mesmo personalizar uma garrafa para levar de recordação. Padrão Disney de qualidade!

A entrada mais simples custa €18 e pode ser comprada pela internet ou na hora. 

3. Trinity College

trinity-college

A Trinity College é parte da alma de Dublin, não dá para visitar a capital da Irlanda sem passar pela mais antiga universidade do país, fundada em 1592 pela Rainha Elizabeth.

Visitamos os prédios e jardins da universidade livremente, mas a principal atração é a sua biblioteca que, por determinação legal, possui a primeira edição de todo livro lançado na Irlanda e no Reino Unido a partir de 1801.

Não é por acaso que um dos prédios mais visitados é a Old Library, com 200 mil dos mais antigos livros da sua coleção. Passear pelo salão é fascinante, vemos livros antiquíssimos ladeados pelos bustos em homenagem a pensadores clássicos como Sócrates e diversos escritores irlandeses.

Contrate agora o seu tour guiado pelo centro de Dublin

Além da Old Library, é imperdível a exibição do Book of Kells, evangelho manuscrito datado do século IX. Há uma detalhada exposição sobre o livro, como foi seu processo de confecção e o contexto histórico. Ao final, entramos em uma sala onde são exibidas 4 páginas do livro. Por questões de segurança não é permitido fotos no local. Achei a exposição bem interessante, principalmente porque havia explicações gráficas e fáceis acerca dos detalhes das páginas do Book of Kells em exibição.

O ingresso da Trinity College custa €10.

4. St Patrick Cathedral

st-patricks-church

A igreja em homenagem ao famoso santo padroeiro da Irlanda não pode faltar na nossa lista. A St Patrick Cathedral foi fundada ao lado do local onde supostamente St Patrick (São Patrício) batizava os convertidos ao catolicismo por volta do ano 450.

Aliás, St Patrick’s Day é a data mais festejada na Irlanda e também comemorada em vários países com comunidade irlandesa. Uma festa animada regada a muita cerveja e música.

Ao longo dos anos a igreja passou por inúmeras reformas e ampliações. A última relevante foi em 1860 patrocinada pela Guinness. Dizem que em um dos vitrais há uma lira, símbolo da cerveja. Confesso que não achei…

Ao lado da catedral há um parque muito agradável. Quando estive lá o dia estava lindo e muita gente se esparramava nos gramados. Eu inclusive!

O ingresso para entrar na igreja é €7. Há visitas guiadas gratuitas em vários horários.

5. Temple Bar

the-temple-bar

Pensar na Irlanda significa lembrar: cerveja + whisky = pub.

Temple Bar, às margens do Rio Liffey, é a região com a maior concentração de pubs da cidade. Após um período de decadência, a área foi recuperada nos anos 80. Hoje é o lugar do agito! Gente de todo mundo, muita música e bebida. Divertido demais!!! O bom é ir de pub em pub. Barathona!!!

Essa área ganhou o nome por conta do pub Temple Bar. Fundado por Mr. e Mrs. Temple, foi o primeiro da região, a qual à época era uma zona portuária. Ou seja, Temple Bar em Temple Bar.

Dizem que os irlandeses são muito religiosos e que Temple Bar une as duas coisas que eles mais gostam: rezar e beber! De qualquer forma, ainda que beber não seja a sua praia, a atmosfera de festa e farra é contagiante.

Como chegar?

Para chegar, fui de Ryanair de Edimburgo para Dublin. Passagem low cost baratinha e 45 min de voo. Vapt-vupt! Há a opção de uma viagem mais longa por ferry boat, partindo de algumas cidades da Inglaterra, da Escócia e do País de Gales. No site Ferryto é possível ver todas as rotas e comprar passagem.

Visto

A imigração é tranquila e para nós brasileiros, por ser um país da Comunidade Europeia, não há necessidade de visto. A moeda oficial é o euro.

Clima

Dei muita, muita, muita sorte com o tempo, pegando pouquíssima chuva. A fama da Irlanda é chover quase todo dia (dizem, em média, inacreditáveis 275 dias por ano). Aliás, se ficar mais de 10 dias sem chover as pessoas ficam tensas, começam a pensar em seca! Nesse contexto, a melhor época para visitar é no verão, com dias mais longos e historicamente menos chuvosos.

Idioma

O idioma oficial do país não é o inglês, como é fácil imaginar, mas o irlandês (gaélico). O engraçado é que o estudo do irlandês/gaélico é obrigatório nas escolas, mas os jovens não dão importância e hoje a língua só é falada por cerca de 3% da população, em especial pelos mais velhos e moradores da região rural.

Descontos para sua viagem

  • Hospedagem:
  •  Booking
  •  Hoteis.com
  • Voluntariados:
  •  Worldpackers
  • Chip internacional com desconto:
  •  América Chip 10% off
  • Passagens aéreas baratas:
  •  Passagens Promo
  • Aluguel de carro:
  •  Rent Cars
  • Passeios e Ingressos:
  •  Get Your Guide
Foto de Lulu Freitas - Lets Fly Away
Lulu Freitas - Lets Fly Away

Lulu Freitas - Lets Fly Away

Lulu Freitas é uma advogada carioca que ama o Rio de Janeiro, mas que sempre que pode foge para conhecer um pouquinho do mundo. Há 6 meses resolveu criar o blog Let’s Fly Away para aliar o prazer de viajar com o de escrever, compartilhando histórias e ajudando outros viajantes. Tem sido maravilhoso trocar informações e experiências com outros apaixonados por viagens.

Ver mais artigos desse autor

Deixe seu comentário

1 comentário!

0
    0
    Carrinho
    Seu carrinho está vazio