América do sul Chile Pelo mundo

Deserto do Atacama: dicas, o que fazer, quando ir, quanto custa e mais

laguna de sal atacama
Amanda Antunes
Escrito por Amanda Antunes

Se você me acompanha no Instagram (@prefiroviajar), sabe que eu viajei por 7 dias pelo Deserto do Atacama em parceria com a @atacama_trips e aprendi um monte de coisas por lá. Nesse artigo, eu vou compartilhar AmanDICAS valiosas para a sua viagem, então se eu fosse você, já salvava esse link nos favoritos, compartilhava com os amigos e começava a arrumar as malas!

No meu GUIA COMPLETO DO ATACAMA você vai ler:

1. Sobre San Pedro de Atacama
2. Vistos e documentos
3. Como chegar em San Pedro do Atacama?
4. Dinheiro e câmbio
5. O que fazer na mala?
6. Onde ficar?
7. Meu roteiro de 7 dias
8. Quanto custa?
9. Quanto tempo ficar?
10. Remédios e altitude
11. Quando ir?
12. Onde comer?
13. O que comer?
14. Curiosidades


1. Sobre San Pedro de Atacama

Com cerca de 2.300m acima do nível do mar, San Pedro de Atacama fica localizada na região de Antofagasta e nela encontram-se três cordilheiras: Domeyko, La Sal e Los Andes.

Mas vale lembrar que o Deserto do Atacama tem mais de 1.000km de extensão e corta três regiões do Chile: Atacama (região 3), Antofagasta (região 2) e Arica (região 1) . Porém os passeios são feitos apenas em San Pedro de Atacama.


2. Visto e documentos

Para entrar no Chile, você precisa do passaporte ou da identidade com expedição máxima de 10 anos. Nós brasileiros podemos ficar até 90 dias por lá com o visto de turismo.

Dica: guarde o papel chamado PDI que eles te dão ao entrar no Chile! Você terá que apresentar ele na saída e se for pra Uyuni você tem que levar ele.


3. Como chegar em San Pedro do Atacama?

Para chegar em San Pedro do Atacama, que é de onde todos os passeios saem, eu peguei um voo para Santiago e depois um voo interno para a Calama. O trecho internacional Rio – Santiago, você pode comprar em empresas como Avianca, Gol e Latam/Multiplus. Já o trecho interno Santiago – Calama eu sugiro duas vias aéreas low costs que é a Jetstar e a Sky. Eu paguei ida e volta menos de R$ 260 incluindo a bagagem de 23kg despachada!

AmanDICA: o trecho Rio-Santiago ou Sp- Santiago costuma ser vendido ida e volta por 20 mil milhas! Eu acho que vale super a pena e o Multiplus é o melhor programa de milhas desse trajeto!

Quando cheguei em Calama, o transfer da Atacama Trips já estava me esperando para me levar até San Pedro do Atacama. O trajeto levou cerca de 1:10. Como eu peguei o primeiro voo do dia, eu cheguei bem cedinho e já aproveitei para fazer passeios!

Ah! Vale lembrar que as empresas low cost de como Jetsmart e SKY não oferecem bebidas e nem lanches durante o voo. Eles devem ser comprados separadamente online ou diretamente com os comissários de bordo em pesos chilenos.


4. Dinheiro e câmbio

A moeda oficial do Chile é o Peso Chileno. Quando estive em Santiago pela primeira vez em 2018, fiquei com muitas dúvidas sobre qual moeda levar: dólar ou real?

Se você já tiver dólares em casa, sugiro que leve dólar, mas se você não tem, leve reais. Vale muito mais a pena, já que a cotação do dólar está horrível.

Onde trocar real por pesos?

A cotação de San Pedro do Atacama costuma ser tão desfavorável quanto a do aeroporto de Santiago, por isso, não faz muita diferença onde você troca dinheiro. Algumas pessoas até trocam pesos chilenos diretamente no Brasil e dizem que vale bem mais a pena.

AmanDICA: anota aí, em San Pedro do Atacama, 1 real era equivalente a 163 pesos e as melhores casas de câmbio para trocar real estão na Rua Toconao. Mas, atenção, sempre entre em casas de câmbio diferentes e negocie!

Agora, se você tiver uma conexão em Santiago, eu sugiro que você troque o seu dinheiro no centro da cidade, mais precisamente na rua Augustina. É de longe o melhor local para trocar pesos chilenos!

Assista esse vídeo e entenda mais sobre câmbio e notas falsas em Santiago:


5. O que levar na mala?

Independente da época escolhida pra viagem (detalhamos os climas mais abaixo), saiba que você estará em um deserto e tudo é mais intenso por lá! O clima varia bastante durante o dia e você provavelmente vai passar um pouco de calor e de frio em alguns momentos, não importa a estação.

Por isso, a dica é se vestir em camadas! Assim, você consegue ir se adaptando a temperatura do momento. Proteja também o seu rosto com gorro ou boné, cachecol e, claro, protetor solar!

Não se esqueça que dormir no deserto pode ser uma experiência bem diferente! Garanta uma pijama quentinho, meias e aquele casaco pesado para uma boa noite de sono.

Uma boa opção também é levar roupa de banho e toalha, pro caso de entrar nas águas termais no passeio regular (em grupo). E, além disso, se você for fazer um passeio regular (em grupo) leve para os passeios uma garrafa de água e pequenos lanchinhos. Apesar dos passeios incluírem refeições, existem horários e você pode ficar com sede ou fome fora deles.

Itens essenciais para o Atacama

  • Bepantol e Lip Balm;
  • Protetor Solar;
  • Hidratante corporal e facial (MUITO IMPORTANTE);
  • Leggings;
  • Bota de trilha;
  • Meias grossas e mais finas;
  • Blusa e calça segunda pele;
  • Casaco mais grossinho e moletom;
  • Gorro e luvas.

6. Onde ficar?

O que não falta em San Pedro do Atacama são hospedagens para os mais variados orçamentos e gostos. Apesar de ter uma estrutura bem simples, eu achei que San Pedro do Atacama oferece opções hoteleiras bem bacanas.

Nessa minha viagem, eu me hospedei em uma opção econômica e uma standard, como vocês podem ver a seguir. Entretanto, para quem gosta de luxo não faltam opções!

Opção econômica: Posada Atacameña oferece quartos privativos e compartilhados. Apesar de BEM SIMPLES e não incluir café da manhã, achei a localização bem boa.

Opção standard: Yakana Hotel oferece apenas quartos privativos! Achei o hotel uma graça, os quartos bem limpos e espaçosos, tinha ar condicionado e um café da manhã delicinha.

Opção luxo: Tierra Atacama, Alto Atacama e Cumbre.


7. Meu roteiro de 7 dias

Como eu falei anteriormente, eu separei 7 dias para o Deserto do Atacama e 4 dias para o Salar Uyuni. A Atacama Trips conversou comigo, entendeu o meu estilo de viagem e organizou esse roteiro bem completinho que vou compartilhar com vocês:

  • Dia 1: Tour Astronômico (regular);
  • Dia 2: Valle do Arco-íris, Petroglifos de Hierbas Buenas (regular) e Lagunas Cejar, Laguna Tebenquiche e Ojos de Salar (regular);
  • Dia 3: Lagunas Escondidas Baltinache, Cordilleras de la Sal, Mirante Vale de la Muerte e Magic Bus (privado);
  • Dia 4: Vale da Luna e mirador de Ckari (regular);
  • Dia 5: Mirante da Laguna Tuyajtu, Piedras Rojas, Lagunas Altiplanicas, povoado de Toconao e Salar de Atacama (privado);
  • Dia 6: Salar de Tara (regular);
  • Dia 7: Gêiseres del Tatio, povoado de Machuca e Termas de Puritama (privado).

8. Quanto custa?

Quando você pensa “Quanto custa conhecer o Deserto do Atacama”, você precisa ter em mente que existem acomodações, passeios e alimentação para todos os bolsos e orçamentos. Eu, por exemplo, fiz um mix de passeios privados e regulares, fiquei em pousadas e hotéis, enfim, fiz a viagem do jeitinho que eu queria e compartilho aqui com vocês, quanto ela saiu:

Hospedagem: R$ 2.300 (quarto duplo)
Alimentação:
R$ 420
Passeios: R$ 3900 (esse preço varia muito, depende se o tour será privativo ou regular, eu fiz um mix, então o preço está bem misturado)
Aéreo até Santiago:
R$ 1.000
Aéreo até Calama:
R$ 250
———————————————
Total por pessoa = R$ 7870

Vale lembrar que quanto mais pessoas para dividir o quarto e os passeios, mais barato sairá a sua viagem. Junte-se a amigos, casais, viaje em família e faça uma viagem como a minha, mas de um jeito mais econômico! Se você estiver viajando sozinha, fale com a Atacama Trips e veja como fazer um roteiro que caiba no seu bolso!

Dica: fale que é leitor do PREFIROVIAJAR e ganhe 10% de desconto acima de 4 reservas na Atacama Trips! Aproveite o descontinho e economize nos seus passeio no Atacama! Mas é só para reservas feitas até AGOSTO DE 2019. Correee!!!


9. Quanto tempo ficar?

Para conhecer o Deserto do Atacama sem pressa, o ideal é você separar de 4 a 7 dias. Se você quiser fazer um roteiro como o meu e aproveitar ao máximo os atrativos, sugiro 7 dias inteiros, já levando em consideração o deslocamento de Santiago até Calama.

Roteiro de 4 dias: Gêiseres del Tatio, Vale de la Luna, Lagunas Altiplânicas e Lagunas Escondidas.

Roteiro de 5 dias: Gêiseres del Tatio, Vale de la Luna, Lagunas Altiplânicas, Salar de Tara e Lagunas Escondidas.

Roteiro de 6 dias: Gêiseres del Tatio, Vale de la Luna, Lagunas Altiplânicas, Salar de Tara, Lagunas Escondidas e Tour Astronômico


10. Remédios e altitude

Por ser uma cidade com uma altitude elevada, o ideal é que você visite um médico antes da viagem para ser orientado sobre remédios que podem amenizar o mal da altitude.

A altitude elevada faz com que o ar fique mais rarefeito e tenha menos oxigênio.

Um dos remédios mais famosos é o Diamox, mas ele não é recomendado para cardíacos. Por isso, é essencial que você tenha a indicação feita por um profissional! O Chá de Chacoma é uma outra opção que ajuda a amenizar os efeitos da altitude (soroche) e você encontra na cidade.

De todo modo, o ideal é beber água antes de ter sede e comer antes de ter fome. Se você puder, faça uma aclimatação primeiro. Isto é, use seu primeiro dia na cidade para descansar e deixar o corpo se acostumar com a diferença. Sem atividades muito demoradas ou que requerem esforço físico, ok?

Dica: Comece fazendo passeios com altitudes menores até chegar na altitude máxima, você precisa de 3 dias para dobrar o número de hemoglobinas.


11. Quando ir para o Deserto do Atacama?

Conversando com o guia sobre o clima do Deserto do Atacama, eu consegui fazer esse resuminho que eu espero que ajude na viagem de vocês. O aquecimento global está aí, o clima está cada vez mais louco, mas espero que essas dicas do guia da Atacama Trips ajude vocês!

Janeiro – alta temporada até meados do mês, devido ao início da temporada de chuvas;

Fevereiro – muito quente e é o período das chuvas, é considerado alta temporada por conta do carnaval, mas é muito arriscado pois os passeios são cancelados. Entretanto, para Uyuni essa é a época do famoso espelho de água, mas muitas atrações também estão fechados.

Março – esse foi o mês que eu escolhi visitar o Atacama. Apesar de ser um mês mais incerto, em março eu peguei dias ensolarados e noites bem frescas. Todos os passeios estavam funcionando normalmente e a cidade estava cheia, mas não lotada.

Abril e Maio – baixa temporada porque acaba o período de férias. A temperatura amena durante o dia e noites mais quentes, mas vale lembrar durante a semana santa o destino é bem procurado.

Junho – um mês mais frio, considerada baixa temporada e começa o risco de nevasca nos passeios de altitude (acima de 4.000m), por isso eles são encerrados.

Julho – muito turista devido às férias de inverno no Chile, mas é bastante frio e o risco de nevasca continua o mesmo.

Agosto – é o mês mais frio, ainda é alta temporada e o risco de nevasca é alto.

Setembro – ainda está frio, mas temperatura começa a ficar mais quente, é um mês muito procurado pelos chilenos devido às festas Pátrias que ocorrem entre os dia 17- 20 de setembro.

Outubro e novembro – a temperatura já está agradável de dia e de noite, são meses muito recomendados para fazer os passeios e os hotéis costumam ser mais baratos.

Dezembro – altíssima temporada! É um mês bem quente, cheio de turistas de vários lugares do mundo, os hotéis são mais caros e a viagem deve ser agendada com muita antecedência.

Ou seja, os melhores meses para visitar o Atacama são abril, maio, outubro e novembro pois os meses com clima mais estáveis e preços melhores de hotelaria.


12. Onde comer?

Restaurantes baratos: A Picada Del Indio, Sol Inti, Chofy os variam entre 4.000 e 6.000 pesos e incluem o menu completo com entrada, prato principal, sobremesa e bebida.

Empanadas: Empório Andino 2.000 pesos cada uma.

Sorveteria: Babalú (sorvete de Rica Rica).

Comida tradicional: La Casona, Las Delícias de Carmen e Baltinache menu completo com pratos típicos andinos por 17.000.

Pizzaria: El Charrua uma família custa cerca de 10.000 pesos.

Padaria e café: Frauchuteria (os pães e os croassant são divinos) e Rootis Café.


13. O que comer?

Se tem uma coisa que eu AMO fazer quando visito os lugares é provar um pouco da gastronomia local. No geral, achei a culinária em San Pedro do Atacama bem parecida com a de Santiago, a capital do Chile. A seguir, listei algumas coisinhas que eu acho que vale a pena provar.

  • Pastel de choclo;
  • Lomo a lo pobre;
  • Chorrillana;
  • Empanadas.

14. Curiosidades

  • Quando você começa a fazer os passeios pelo Deserto do Atacama, é comum encontrar pelo caminho os famosos camelos sul-americanos. Eles são divididos em 4 espécies: o menor é Vicuña que é uma espécie selvagem, o menor domesticado é a Alpaca, o maior selvagem são os guanacos e o maior domesticado é a Llama, sendo a última uma espécie criada em torno de 3.500 AC no Chile. Ah! Vale lembrar que o Guanaco é a única espécie que pode cruzar com todos os outros 3 tipos de camelos sul-americanos.

 Você curte as minhas dicas? Então já segue o @prefiroviajar no Instagram pra acompanhar as minhas viagens em tempo real! 

VAI VIAJAR? ENTÃO RESERVE AQUI!

Você sabia que quando você faz uma reserva com um link aqui no blog, nós ganhamos uma pequena comissão? Você não é taxado a mais por isso e ainda ajuda o Prefiro Viajar a produzir mais artigos de qualidade! Então, bora reservar?

Passeios e ingressos: TourOn e Get Your Guide
Hospedagem: BookingAirBnB e Hoteis.com
 Seguro viagem: Real Seguro e Seguros Promo
 Passagens aéreas baratas: Passagens Promo , Voopter e Decolar.com
 Aluguel de carro: Rent Cars e ReserveCar
 Dinheiro pro exterior: Transferwise

Sobre o autor

Amanda Antunes

Amanda Antunes

Olá! Eu sou Amanda. Sou publicitária, criativa e apaixonada por fotos e viagens. Ao todo foram 3 intercâmbios e 24 países visitados. São muitas histórias para contar, porque eu Prefiro Viajar!

Deixe um comentário