América do sul Bolivia Pelo mundo Uyuni Uyuni

Salar de Uyuni: como ir, quando ir, preços, onde fica e mais

espelho de sal salar de uyuni
Amanda Antunes
Escrito por Amanda Antunes

Se você me acompanha no Instagram (@prefiroviajar), sabe que em março de 2019, eu estive em no Atacama e no Salar de Uyuni e, sem dúvidas, essa foi uma das viagens mais lindas que eu já fiz até hoje. A beleza dos lugares que passei é incrível e você tem tudo para considerá-lo como um excelente destino para a sua próxima viagem!

No meu GUIA COMPLETO DE UYUNI você vai ler:

1. Sobre Uyuni
2. Visto e documentos para brasileiros
3. Como chegar em Uyuni?
4. Dinheiro e câmbio
5. O que levar na mala?
6. Onde ficar?
7. Meu roteiro de 4 dias
8. Quanto custa?
9. Quanto tempo ficar?
10. Altitude no Uyuni
11. Quando ir?

12. Seguro Viagem
13.
Curiosidades

1. Sobre o Salar de Uyuni

Uyuni é uma cidade na Bolívia onde está localizado o maior e mais alto deserto de sal do mundo! No sudoeste do país, o Salar de Uyuni tem uma área de 10,5 mil quilômetros quadrados e está a mais de 3,6 mil metros de altitude do nível do mar.

A cidade em si é bem pequena e você conseguirá explorá-la a pé sem muitos problemas. Contudo, não é uma cidade com ares muito turísticos, parece mais uma cidadezinha bem do interior.

Uyuni é mais visitada por turistas que apenas usam ela como porta de entrada para o passeio ao Salar. Ainda assim, você vai encontrar diversas opções de hospedagem (simples) e muitas agências de turismo no centro.

Dica: Um passeio bem legal próximo a cidade de Uyuni é o cemitério de trens! Um pouquinho fora da cidade, é possível visitá-lo em alguns tours ou por fora da sua excursão.


2. Visto e documentos

Brasileiros não precisam de visto para entrar na Bolívia e podem ficar assim em viagens de até 90 dias. Não é necessário passaporte para visitar o país, você pode usar sua carteira de identidade (RG) válida, desde que esteja em bom estado e dentro da validade.

Viajar com o passaporte é mais prático porque o carimbo da sua entrada é feito nele e, no caso, de ser questionado sobre sua situação no país, você terá acesso fácil a essa comprovação.

Se você entrar com o RG, você receberá um papel confirmando a sua permissão de entrada na Bolívia e você deverá mantê-lo com você todo o tempo e precisará apresentá-lo na saída.

Importante: é preciso apresentar o Certificado Internacional de Vacinação contra a Febre Amarela, ok? Às vezes eles não pedem, mas não vale a pena correr o risco, né?

Visto na fronteira do Atacama

Se você fizer a expedição de carro saindo do Atacama, assim como eu fiz, certamente você passará pela fronteira terrestre. Para isso, é muito importante que você guarde um documento chamado PDI que você ganha ao entrar no Chile. Para entrar e sair do país, você precisa apresentar esse documento!!!

Ah! Uma vez na fronteira da Bolívia você precisará pagar uma taxa de 150 pesos bolivianos referente a entrada do parque!


3. Como chegar em Uyuni?

São várias formas de chegar a Uyuni, sendo elas: via aéreo (avião) ou via terrestre (carro ou ônibus).

De avião

Existem diversas companhias que voam para a Bolívia, saindo do Brasil. Você encontra vôos da Gol, Latam, Avianca e Boliviana de Aviación.

As principais opções são chegar por La Paz ou Santa Cruz de La Sierra e, de lá, você pode pegar um vôo interno ou outro meio de transporte até Uyuni.

De carro ou de ônibus

Saindo de ônibus de turismo de La Paz, a viagem dura cerca de 10 horas e é sempre durante a noite. Você também pode fazer esse percurso alugando um carro (eu indico a Rent Cars), mas pode ser um pouco cansativo.

Também é possível dirigir para a Bolívia direto do Brasil, mas é uma viagem demorada, mesmo saindo do sul do país.

Eu fiz o trajeto de carro, saindo do Atacama. Como eu não dirijo e gosto muito de trabalhar com agências locais, todo a minha expedição foi organizada pela Atacama Trips e pela Senda Andina. Eles fecharam um roteiro privativo pra mim e cuidaram de tudo, desde a hospedagem até a minha segurança e tranquilidade na estrada.

Ah! Considere no seu cronograma que algumas vezes a fila da imigração via terrestre pode ser rápida e outras pode durar algumas horas, tudo depende da disponibilidade da galera local.


4. Dinheiro e câmbio

O dinheiro da Bolívia é chamado boliviano. Hoje, 1 boliviano equivale a mais ou menos R$ 0,57.

Existem caixas eletrônicos no centro onde você pode sacar direto da sua conta. Os preços não são ideais, mas é bom saber da possibilidade para qualquer emergência. Ah! A bandeira de cartão mais aceita na Bolívia é Visa.

Onde trocar real por pesos bolivianos?

O ideal é que você não deixe para fazer a troca em Uyuni. A cidade é pequena, são poucas casas de câmbio e os preços são mais elevados. Se estiver em outra cidade boliviana antes, troque lá para garantir uma cotação melhor.

Se você vier direto de outro país, como eu, tente trocar nesse outro país primeiro. Eu troquei em San Pedro do Atacama, por exemplo, e ainda assim, achei que o câmbio estava valendo mais a pena do que direto em Uyuni.

Dica: eu recebi algumas mensagens de seguidores lá no Atacama falando que a cotação do peso boliviano e até do peso chileno estava melhor no Brasil. Eu não sei se a informação procede, maaas sempre vale a pena checar antes de trocar, né?


5. O que levar na mala?

Independente da época escolhida pra viagem (detalhamos os climas mais abaixo), saiba que você estará em um deserto e tudo é mais intenso por lá! O clima varia bastante durante o dia e você provavelmente vai passar um pouco de calor e de frio em alguns momentos, não importa a estação.

Por isso, a dica é se vestir em camadas! Assim, você consegue ir se adaptando a temperatura do momento. Proteja também o seu rosto com gorro ou boné, cachecol e, claro, protetor solar!

Não se esqueça que dormir no deserto pode ser uma experiência bem diferente! Garanta uma pijama quentinho, meias e aquele casaco pesado para uma boa noite de sono.

Dica: valide se a sua hospedagem tem aquecedor antes de fazer a reserva. Vou falar sobre isso mais para frente, mas muitas pessoas reclamaram comigo de alojamentos sem aquecedor e do frio que fazia durante a noite.

Uma boa opção também é levar roupa de banho e toalha, pro caso de entrar nas águas termais no passeio. E, além disso, se você for fazer um passeio regular (em grupo) leve para os passeios uma garrafa de água e pequenos lanchinhos. Apesar dos passeios incluírem refeições, existem horários e você pode ficar com sede ou fome fora deles.


6. Onde ficar?

Por ser a principal base para a visita ao Salar, a pequena cidade de Uyuni tem bastantes opções de hospedagem para todos os bolsos. Vale lembrar que a cidade não tem uma super estrutura turística e mesmo a opção mais luxuosa, ainda vai ser mais simples que em outros destinos.

Opção econômica: Hostal na Laguna Colorada, Hostal de Sal e Hostal em San Cristobal, todos são oferecidos pela agência por diárias que custam 70 dólares.

Opção luxo: Hotel Los Flamencos (diária a partir de 225 dólares), Hotel Tambo Coquesa (diária a partir de R$588) e Hotel Luna Salada (diária a partir de R$353). Esses foram os 3 hotéis que eu me hospedei e adorei. Tomei banho de água quente todos os dias e tive até acesso à internet via wi-fi. No meu vlog sobre Uyuni, eu faço um tour detalhado em cada um deles, vale a pena assistir e entender melhor sobre essas belezuras!


7. Meu roteiro de 3 noites e 4 dias

O meu roteiro foi feito com as empresas Atacama Trips e Senda Andina, duas parceiras dessa viagem, e eu adorei o serviço deles!

A Atacama Trips é uma empresa brasileira e isso ajuda muito na comunicação! Já havia usado o serviço deles no Atacama, Chile e tive uma experiência excelente.

Eles oferecem diversos tipos de excursões e, junto com a Senda Andina, fazem a saída direto do Atacama para Uyuni. A travessia foi completamente diferente daqueles perrengues que estamos acostumados a ler por aí. Refeições prontas, lanchinhos no carro, remédios para altitude à disposição e seleções de hospedagem muito confortáveis. Não precisei me preocupar com nada!

Vale lembrar que o roteiro que vou compartilhar com vocês serviu de base para o nosso passeio. A ordem das visitas nem sempre são seguidas a risca, mas todos os locais do roteiro original foram contemplados.

Dia 1

  • Laguna Blanca;
  • Laguna Verde;
  • Deserto de Dalí;
  • Termas de Polques e Laguna Salada;
  • Géisers Sol de La Mañana;
  • Laguna Colorada;
  • Arbol de Piedra;
  • Lagunas Altiplanicas;
  • Jantar no Hotel Los Flamencos Eco Lodge.

Dia 2

  • Mirador do vulcao Ollague;
  • Almoço no povoado de Culpina K;
  • Povoado de San Cristobal;
  • Cemitério de trens e cidade de Uyuni;
  • Noite no Hotel Luna Salada

Dia 3

  • Passeio de carro pelo Salar de Uyuni
  • Visita a escultura de sal Dakar Bolivia
  • Jantar hotel Tambo Coquesa

Dia 4

  • Retorno para San Pedro do Atacama com paradas na estrada para fotografia!

Atenção: eu fiz um tour privativo e fiquei em hospedagens bem maneiras, ou seja, não estou falando sobre um tour econômico que muitas pessoas fazem em Uyuni.


8. Quanto custa?

A Bolívia é um país barato, principalmente se comparado ao Chile – o país de onde saiu o meu tour para Uyuni. Ainda assim, muitas pessoas têm a impressão que os tours para Uyuni são muito caros. Eu, particularmente, acredito que essa é uma experiência incrível que todo mundo deveria viver uma vez na vida e o custo-benefício compensa.

Existem milhões de pacotes e preços que variam de acordo com o conforto que você quer ter durante a viagem. Eu, por exemplo, fiz o tour privativo que fica mais caro porque o nível de conforto é bem maior. Mas existem opções compartilhadas que acabam ficando mais baratas porque o custo é dividido.

O tipo de hospedagem que você escolher, como em qualquer viagem, vai influenciar o preço. Quanto mais conforto, mais caro! De modo geral, achei Uyuni um destino muito democrático pois encontrei opções para todos os tipos de bolsos e orçamentos.

Você pode considerar que os passeios em tour compartilhado, saindo do Atacama, custam em média entre R$ 900 e R$ 1000 por pessoa, incluindo transfer, hospedagem, guia, refeições e passeios. Se sua base inicial já for Uyuni, você consegue os passeios por R$ 700 e R$ 800 reais em média.

Agora, se você pensa em fazer um tour privativo como o meu de 3 noites e 4 dias, sai a partir de R$ 4.000 por pessoa, incluindo ida e volta de San Pedro do Atacama, hotéis tops, roupão, carro com wi-fi, todas as refeições e guia.

Lembrando que esse valor pode mudar de acordo com o número de pessoas no carro e a quantidade de pessoas que vão dividir quartos duplos do hotel! Se você quer saber mais, vale a pena você conversar com a Atacama Trips para entender qual o melhor custo-benefício pra você!


9. Quanto tempo ficar?

Para Uyuni, o ideal é você separar de 2 a 3 noites. Muitas pessoas fazem o pacote de 2 noites, mas confesso que escolhi o de 3 noites e não me arrependi nem por um segundo!

Existem opções mais longas também explorando por 5 e até 10 dias a região. A Senda Andina, por exemplo, também oferece passeios de até 19 dias, visitando, além de Uyuni, outros destinos da Bolívia na mesma viagem.

Leia mais: Mochilão pela América do Sul – Roteiro Completo de 37 dias!


10. Altitude em Uyuni

Por ser uma cidade com uma altitude elevada, o ideal é que você visite um médico antes da viagem para ser orientado sobre remédios que podem amenizar o mal da altitude.

A altitude elevada faz com que o ar fique mais rarefeito e tenha menos oxigênio.

Um dos remédios mais famosos é o Diamox, mas ele não é recomendado para cardíacos. Por isso, é essencial que você tenha a indicação feita por um profissional! O Chá de Chacoma é uma outra opção que ajuda a amenizar os efeitos da altitude (soroche) e você encontra na cidade.

De todo modo, o ideal é beber água antes de ter sede e comer antes de ter fome. Se você puder, faça uma aclimatação primeiro. Isto é, use seu primeiro dia na cidade para descansar e deixar o corpo se acostumar com a diferença. Sem atividades muito demoradas ou que requerem esforço físico, ok?

Dica: Comece fazendo passeios com altitudes menores até chegar na altitude máxima, você precisa de 3 dias para dobrar o número de hemoglobinas.


11. Quando ir?

Essa é uma das perguntas que eu mais recebi no Instagram. Então, eu fiz um resuminho com as coisas que eu aprendi por aqui. Lembrando que todos os anos a temperatura vem mudando bastante, por isso, essa minha listinha é só uma orientação.

Dezembro, Janeiro e Fevereiro

Altíssima temporada! Nesse mês é quando a chuva começa e inunda o Salar. Os carros só vão até 30km e saem. assim como dezembro os dias chegam a 20 graus e à noite 5 graus, depende da altitude.

Março

Esse foi o mês que eu escolhi visitar Uyuni. Apesar dar chuvas terem cessado, nessa época do ano é quando você encontra os famosos espelhos d’água. Entretanto, atrações como a ilha de cactos estavam fechadas devido a água que dificultava o acesso e deixou o trajeto bem mais lento. Durante os dia, a temperatura estava bem amena e as noites já eram bem frias, chegando a -5°.

Abril

Esse costuma ser o melhor mês para visitar o Salar. Você ainda encontra os espelhos d’água e tem acesso a mais ilhas, sem contar quero trajeto de carro dentro do Salar de Uyuni se torna bem mais rápido. A temperatura fica muito próxima do mês de março.

Maio

Esse é o mês que os espelhos d’água já se foram e a temperatura começa a cair.

Junho e Julho

São os meses mais frios e pode ver a neve na parte mais alta. As temperaturas durante o dia giram em torno de 4º de dia e durante a noite em altitudes acima de 4.000m como do Ecohotel Los Flamencos pode chegar até -20°.

Dica: em 2017, por conta da quantidade de neve os passeios de altitude (acima de 4.000m) foram fechados.

Agosto

Também é um mês frio, mas a quantidade de neve começa a diminuir e no final do mês, as temperaturas começam a ficar mais altas.

Setembro, Outubro e Novembro

De dia chegam a temperaturas de 26° e durante a noite gira em torno dos 14 e 16°. São meses bem quentes e secos e muitas lagunas estão mais secas. e até desaparecem.

Ou seja, se você quer curtir as paisagens secas de Uyuni e ainda ver o famoso espelho d’água, o mês ideal para sua viagem é o final de abril.


12. Seguro Viagem

Uma das coisas que sempre me preocupo em minhas viagens é qual Seguro Viagem contratar. Eu recomendo sempre que em viagens internacionais você se planeje e garanta o Seguro Viagem seja do seu cartão de crédito ou da Seguros Promo.

DICA: Ganhe até 10% de desconto no seu Seguro Viagem. Clique aqui e garanta 5% com o cupom PREFIROVIAJAR5, para ganhar mais 5% é só pagar em boleto!


13. Curiosidades

  • Na Bolívia, as tomadas são do tipo A e tipo C. A primeira é um pouco diferente, dois pinos chatos – um maior e o outro menor. A segunda é a que de dois pinos redondos, como tínhamos como padrão no Brasil há alguns anos;
  • Você nem sempre vai encontrar tomadas no quarto durante ou energia durante a excursão – se puder, leve um carregador portátil potente para maior comodidade;
  • O Salar, na verdade, era um lago há muitos (e muuuitos) anos atrás que secou com o passar dos milênios por conta das mudanças climáticas;
  • No deserto de Uyuni, você encontra 70 espécies diferentes de Cactus, das 150 já conhecidas no mundo;
  • Existem outros passeios não tão explorados no deserto de Uyuni, existem algumas lagunas que são secretas e visitadas apenas pelos locais;
  • No deserto, algumas atrações chegam a 5 mil metros de altitude.

 Você curte as minhas dicas? Então já segue o @prefiroviajar no Instagram pra acompanhar as minhas viagens em tempo real! 

VAI VIAJAR? ENTÃO RESERVE AQUI!

Você sabia que quando você faz uma reserva com um link aqui no blog, nós ganhamos uma pequena comissão? Você não é taxado a mais por isso e ainda ajuda o Prefiro Viajar a produzir mais artigos de qualidade! Então, bora reservar?

Passeios e ingressos: TourOn e Get Your Guide
Hospedagem: BookingAirBnB e Hoteis.com
 Seguro viagem: Real Seguro e Seguros Promo
 Passagens aéreas baratas: Passagens Promo
 Aluguel de carro: Rent Cars
 Dinheiro pro exterior: Transferwise

Sobre o autor

Amanda Antunes

Amanda Antunes

Olá! Eu sou Amanda. Sou publicitária, criativa e apaixonada por fotos e viagens. Ao todo foram 3 intercâmbios e 24 países visitados. São muitas histórias para contar, porque eu Prefiro Viajar!

1 comentário

  • Amei! Amei!
    Me apaixonei por esse lugar desde a primeira imagem que vi!
    Gostei das dicas e da clareza das informações. É difícil encontrar relatos referentes a entrada no país e a questão do passaporte, enfim.
    Pra mim que pretendo viajar sozinha foi o vídeo mais completo que achei.
    Parabéns!
    Bjs
    Cida

Deixe um comentário