Chapada das Mesas Maranhão No Brasil Nordeste Roteiro de viagem

Roteiro da Chapada das Mesas: o que fazer, quando ir, como chegar e mais!

chapada das mesas maranhao
Amanda Antunes
Escrito por Amanda Antunes

Quem me acompanha no Instagram , sabe que eu, finalmente, voltei para o Maranhão e desvendei todos os mistérios da Chapada das Mesas a convite do Governo do Maranhão (@governoma) e do Maranhão Terra de Encantos (@materradeencantos). To chique, né?

Eu amo viajar pelo Brasil e ao longo das minhas viagens, eu já passei pela Chapada dos Veadeiros, Chapada Diamantina, Chapada dos Guimarães e confesso que agora fiquei super impressionada com a Chapada das Mesas. Foram 5 dias super intensos e a seguir, vou compartilhar com vocês tudo o que eu aprendi por lá e espero de inspirar a sua viagem para o sul do Maranhão.

No meu GUIA DA CHAPADA DAS MESAS você vai ler:
1. Sobre o Parque Nacional da Chapada das Mesas
2. Como chegar?
3. Quanto tempo ficar?
4. Quando ir?
5. Onde se hospedar?
6. O que fazer na Chapada das Mesas?
7. Meu roteiro de 5 dias
8. O que levar na mala?
9. Onde comer?
10. Quanto custa?
11. Dicas extras


1. Sobre o Parque Nacional da Chapada das Mesas

Localizado no Sul do Maranhão, o Parque Nacional da Chapada das Mesas foi criado em 2005 e hoje pertence a 3 municípios: Riachão, Carolina e Estreito. O nome Chapada das Mesas foi dado devido aos platôs da Chapada que lembram o formato de mesas de pedra.

Trilha dos Pilares – Chapada das Mesas

Com 160 mil hectares de extensão, o parque está localizado em uma zona de transição entre caatinga, cerrado e floresta amazônica. É impressionante como vemos claramente a transformação da vegetação durante trilhas e passeios!

Nos arredores do Parque, você encontra um polo turístico composto por 12 municípios, além de muitas trilhas e paisagens de tirar o fôlego. Vale lembrar que Carolina é o local preferido dos visitantes do Parque Nacional da Chapada das Mesas para se hospedar, mas é em Imperatriz que fica o aeroporto mais próximo.


2. Como chegar?

Avião

O jeito mais simples de chegar na Chapada das Mesas é pegando um voo até a cidade de Imperatriz no Maranhão e de lá um transfer até Carolina. No meu caso, quem cuidou de todo o meu roteiro e deslocamentos foi a agência Cia do Cerrado! Eles foram muito atenciosos e todos os carros e vans eram bem confortáveis. Lembrando que ar condicionado é essencial galera! rs

As empresas que operam o aéreo até Imperatriz são Azul e Latam saindo de Brasília e São Paulo. As passagens giram em torno de R$ 1.500. Existem voos diretos saindo de Brasília e São Paulo. As demais capitais devem fazer conexão assim como eu fiz saindo do Rio de Janeiro.

Outra opção, é você aproveitar para fazer duas viagem em uma: visitar o Jalapão e a Chapada das Mesas, por exemplo. Para isso, é só você comprar o aéreo para Palmas no Tocantins e de lá ir direto para Carolina no Maranhão.

Ônibus

Se você tem um pouco mais de tempo e quer economizar, você pode aproveitar promoções de passagens aéreas para São Luiz e pegar um ônibus até o município de Imperatriz. Uma vez em Imperatriz, você consegue:

Atenção! Também existe um ônibus direto de São Luiz para Carolina, onde estão a maioria das atrações da Chapada das Mesas. A empresa de ônibus que faz o trajeto é a Expresso Vip, mas não é ônibus leito e como a viagem é longa (cerca de 12h) esse trajeto pode ser bem desconfortável.


3. Quanto tempo ficar?

Apesar de eu ter ficado apenas 5 dias, o ideal mesmo para conhecer a Chapada das Mesas com calma são 7 dias de viagem. Isso porque existem varias novas rotas surgindo e alguns passeios que exigem um pouco mais de esforço na trilha, como o Roteiro dos 3 Encantos, por exemplo.

AmanDICA: na hora de elaborar o seu roteiro, é importante considerar o deslocamento de Imperatriz até Carolina.


4. Quando ir?

Na hora de planejar a sua viagem para a Chapada das Mesas, é muito importante escolher a melhor época do ano para visitar a a região. Isso porque, por lá você encontra duas estações predominantes a chuvosa e a seca. A seguir, vou tentar dar uma resumida no que aprendi por lá.

Estação Seca vai de final de maio até inicio de dezembro. Nessa época do ano, a temperatura gira em torno de 37ºC e tem bastante sol e vento no final e início do dia, quando a temperatura fica mais amena. Nessa época do ano, é muito importante usar bastante protetor solar e beber bastante água, principalmente, durante as trilhas que muitas vezes são descampadas.

Estação Chuvosa – vai de dezembro até o final de maio. Nessa época do ano, você irá encontrar um volume de água bem grande, mas os poços tendem a estar mais turvos. Vale lembrar que a temperatura mínima pode chegar até uns 16ºC e nessa época do ano, a sua viagem será mais contemplativa.


5. Onde se hospedar?

Como eu falei anteriormente, Carolina é o melhor lugar para se hospedar na Chapada das Mesas. O município apresenta uma estrutura bem bacana para os visitantes e fica perto de várias atrações. Mas atenção! Não espere luxo e sim pousadas confortáveis e com um custo-benefício bem legal.

Eu, por exemplo, me hospedei na Pousada do Lajes. Ela fica um pouco mais distante do centrinho de Carolina, mas foi perfeita para descansar depois de um dia longo de passeio. A pousada conta com wifi, estacionamento gratuito, piscina, café da manhã, quarto com banheiro privativo, ar condicionado, tv e frigobar, com diárias a partir de R$142. Lembrando que o check-in é 13h e o check-out 11h.


6. O que fazer na Chapada das Mesas?

Definitivamente, o que não falta na Chapada das Mesas são lugares incríveis para conhecer. Sem falar da infraestrutura das trilhas e acessos das cachoeiras! Achei tudo muito organizado e preparado para o turista.

Estrutura do Complexo da Pedra Caída

A agência Cia do Cerrado me ajudou a montar o meu roteiro de 5 dias e basicamente, meus dias foram divididos entre dois municípios: Riachão e Carolina. A seguir, vou compartilhar com vocês os lugares que visitei em cada um deles.

Riachão

  • Complexo Poço Azul
  • Encanto Azul

Carolina

  • Portal da Chapada das Mesas
  • Cachoeira de São Romão
  • Cachoeira do Prata
  • Complexo da Pedra Caída
  • Trekking do Mirante da Chapada das Mesas
  • Camping do Raiz
  • Passeio de barco pelo Rio Tocantins

7. Meu roteiro de 5 dias detalhado

Para facilitar o seu planejamento, eu vou compartilhar o meu roteiro de 5 dias detalhado organizado pela Cia do Cerrado com as atividades que eu fiz dia a dia. Lembrando que esse roteiro pode ser contratado diretamente com eles.

Dia 1

Pôr do Sol no Rio Tocantins
  • Recepção no aeroporto de Imperatriz;
  • Almoço no Ritz Restaurante;
  • Traslado de Imperatriz até Carolina (220 km pela BR010);
  • Pôr do Sol no Rio Tocantins
  • Jantar no ASCAM – ASSOCIAÇÃO DOS CAROLINENSES E AMIGOS

Dia 2

Nascer do sol no Portal da Chapada

O segundo dia de viagem começou cedinho. A Cia do Cerrado me buscou na pousada 4:30 da manhã e seguimos rumo ao famoso Portal da Chapada das Mesas. Para subir nesse horário, você precisa pagar uma taxa de R$ 20 por pessoa. Vale lembrar que durante o dia esse valor cai para R$ 10 por pessoa e você encontra mais informações no insta do atrativo @portal_adventure_oficial.

Depois do nascer do sol, voltamos para a Pousada do Lajes onde eu pude tomar o café da manhã e me preparar para seguir rumo ao famoso Poço Azul.

Complexo Poço Azul

Depois do café da manhã, seguimos até a cidade de Riachão, onde está localizado o Complexo do Poço Azul, um dos complexos turísticos mais famosos da Chapada das Mesas.

O complexo turístico conta com um total de 6 cachoeiras, sendo o Poço Azul uma delas. Para entrar, você deve pagar uma taxa de R$ 60 inteira e R$ 30 a meia por pessoa. Assim você terá livre acesso ao local durante todo o dia.

Poço Azul

Caso você curta uma adrenalina, você pode contratar o Rapel de 76 metros que é feito na Cachoeira de Santa Bárbara por R$ 120 por pessoa ou a Tirolesa que passa por 3 cachoeiras no valor de R$ 50 por pessoa. Eu optei em fazer o rapel é foi incrível!!! Recomendo demais!

Depois de tanta aventura, eu segui para o almoço também no Complexo do Poço Azul que também deve ser pago separadamente! E olha que não era só a foto que está com uma cara boa não, foi ótimo para recarregar as energias e seguir para o próximo destino do dia.

Encanto Azul

Depois do Poço Azul, segui por mais 6,5km de estrade de terra até o Encanto Azul que tem esse nome devido ao tom da sua água, que por sinal é azul o ano todo, mesmo na temporada das chuvas. O valor da entrada é R$ 30 por pessoa e lá é bem legal para fazer flutuação e usar a máscara de mergulho!

Ah! No Encanto Azul, o cheiro das fezes e xixi dos morcegos é bem acentuado e isso incomoda um pouco alguns viajantes. Eu entrei na água e sigo aqui vivinha da silva. É lindo demais pra ficar fora da água galera!!!

Depois desse dia incrível, nós voltamos para o centro de Carolina e jantamos no Lanche Central um arroz tradicional da região chamado Maria Isabel. Estava delicioso!

Dia 3

Complexo Santuário da Pedra Caída

Em torno das 8:00 da manhã, logo após o café da manhã, a Cia do Cerrado me buscou na pousada para conhecer o famoso Complexo Turístico Pedra caída, onde fiquei o dia inteiro!

Ao todo, dentro do complexo existem cerca de 25 cachoeiras com 19 nascentes, mas apenas 9 delas estão abertas e com estrutura para visitação. Vale lembrar que o complexo da Pedra caída funciona das 8 às 17h e você paga um valor de R$ 60 para entrar, incluindo estacionamento e visitação a 2 piscinas naturais.

Para visitar as demais cachoeiras e fazer outras atividades, como as que eu fiz, você deve pagar o valor de cada passeio separadamente. Além disso, na Pedra Caída, você também encontra atividades como o Passeio de Teleférico que custa R$60 por pessoa e a Tirolesa do Pânico que é considerada a maior da América latina com 398m de altura e 1400m de extensão que custa R$ 90 por pessoa. Ah! Existe ainda um combo para fazer as duas atividades que custa R$120.

Assim que chegamos, vimos um vídeo com algumas instruções e informações importantes sobre o complexo turístico. Depois pegamos um ônibus e fomos com o nosso guia fazer o primeiro passeio: a visita a Cachoeira da Caverna e a do Capelão. Esse passeio tem o valor de R$30 por pessoa e eu recomendo bastante.

Cachoeira da Caverna

Logo em seguida, fomos rumo a Cachoeira do Santuário, onde caminhamos por uns 600 metros em uma trilha ecológica de madeira e finalmente chegamos a minha cachoeira favorita da Chapada das Mesas, localizada no meio a paredões com aproximadamente 50 m de altura. O nome já diz tudo, é um verdadeiro Santuário. Essa visita custa R$ 30 por pessoa.

Cachoeira do Santuário

Voltamos da Cachoeira do Santuário a pé, em uma trilha bem tranquila e fomos direto para o almoço, que também deve ser contratado a parte. O almoço pode ser servido a la carte ou buffet depende do dia da semana que você fizer a sua visitação.

Depois do almoço, peguei o teleférico rumo a Pirâmide de Vidro que fica no topo da montanha. Lá fizemos uma atividade de meditação bem bacana, passamos por um mirante com um visual incrível do complexo e depois descia a famosa Tirolesa do Pânico!!!

Pirâmide da Pedra Caída

Foi um dia sensacional e pra fechar com chave de ouro fomos jantar na Pizzaria do Tio Pepe no centro de Carolina.

Dia 4

Roteiro 3 Encantos

Se tem uma coisa que não falta na Chapada das Mesas, são trilhas incríveis. A Cia do Cerrado tem um roteiro bem bacana chamado 3 encantos que inclui a trilha de 10km até o Mirante da Chapada das Mesas, um piquenique com banho de Rio no Refugio do Raiz e um passeio de barco pelo Rio Tocantins até a Pedra Encantada.

Nesse dia, nós saímos bem cedinho da Pousada, cerca de 7:00 da manhã e seguimos por 25km na BR010 até a entrada do Mirante da Chapada das Mesas. De lá iniciamos a nossa caminhada e ganhamos um kit lanche com uma maça, uma pera, um barrinha e água.

Atenção: quanto mais cedo você fizer essa trilha melhor, pois o trajeto é descampado e o sol por lá é bem forte. Recomendo até a utilização de chapéu e blusas com proteção UV.

Ao longo da trilha, passamos por paisagens incríveis. A altitude da Serra do Mirante varia de 300 a 400 metros e durante todo o caminho fizemos paradas para apreciar os imensos paredões alaranjados e a vegetação densa da região. Fizemos algumas paradas durante o caminho para filmar, fotografar e até fazer umas imagens de drone e foi na Pedra Taça que fizemos a nossa última parada antes de retornar para a base.

Como nesse passeio não tem um almoço, fizemos uma super parada para lanche na foz dos rios Raiz e Urupuchete, com direito a um belo piquenique com uma rede delicinha para relaxar.

Por volta das 15h, partimos rumo a Carolina para fazer o passeio de voadeira de 22 km até a Pedra Encantada, uma formação rochosa no meio do Rio Tocantins. Inclusive, nessa pedra, você encontra muitas aranhas, mas tem uns corajosos que se aventuram e dão altos pulos dela.

Pedra Encantada

Ah! Vale lembrar que esse é um passeio que dura cerca de 3:30h ida e volta e o barco é uma voadeira, ou seja, é bem pequeno! Se você tem medo, sugiro que pense antes de fazer ou busque mais informações.

Para fechar o dia, voltamos ao centro de Carolina onde eu comi um peixe delicioso no Espaço Gourmet Carolina. Estava uma delícia!!!

Dia 5

No meu última dia de viagem é claro que eu fui conhecer a Cachoeira de São Romão e a Cachoeira do Prata. Saímos bem cedinho da pousada e pegamos 83km de estrada, sendo 53km delas em areia no Parque Nacional da Chapada das Mesas.

Uma das coisas mais legais do meu dia foi a parada que fizemos na casa de uma moradora local super simpática. Ela me contou um pouco da vida simples que ela leva por lá e me ofereceu uns cajus que estavam bem docinhos e suculentos. Foi uma parada um tanto quanto inesperada mas super rica, sabe?

Cachoeira de São Romão

Agora chegou a hora de contar para vocês sobre a Cachoeira de São Romão que é formada pelo Rio farinha que divide os municípios de Carolina e Estreito. A queda d’água é formada por um paredão de 25m de altura e o mais legal, é que por lá você pode fazer uma mini trilha por trás da cachoeira pra ver de pertinho a força exuberante da água.

Quem quiser, também pode alugar um caiaque e ir remando até bem pertinho dela, é uma delícia curtir o dia por lá. Ah! Por favor, aproveite para almoçar e comer a comidinha caseira que eles servem por lá. Não está incluído no valor da entrada da cachoeira que é de R$20 por pessoa, mas eu prometo que serão R$ 30 muuuuito bem investido! Vale muito a pena!

Cachoeira do Prata

Depois da Cachoeira de São Romão, seguimos rumo a Cachoeira do Prata que é constituída por três quedas exuberantes, daquelas de tirar o fôlego mesmo, parece que saiu de um filme de aventura! A entrada custa R$ 20 por pessoa e a trilha para chegar até a parte inferior da cachoeira é bem tranquila.

Como os voos de Imperatriz para Brasília saem na madrugada, eu consegui aproveitar bem o meu último dia e a Cia do Cerrado fez o nosso traslado na parte da noite. Cheguei no aeroporto por volta de 3 da manhã e meu voo foi 5:00.


8. O que levar na mala?

Vai fazer uma viagem de aventura? Tem, trilhas, cachoeira e sol? Então guarda essa listinha do que levar na mala no seu coração. Eu sempre uso esse checklist antes de viajar e me ajuda bastante na hora de arrumar as coisas.

  • Toalha de Banho que seca rápido;
  • Tênis ou botinha de trilha com meias mais altas;
  • Sandálias que possam ser molhadas tipo Crocs;
  • Mochila confortável para caminhadas;
  • Garrafinha de água;
  • Protetor solar e chapéu para se proteger do sol;
  • Roupa de banho;
  • Óculos escuros;
  • Óculos/ máscara de mergulho para fazer snorkel;
  • Repelente;
  • Câmera que possa molhar como Gopro ou capinha pro celular;
  • Capa de chuva caso seja época de chuva.

9. Onde comer?

Durante a viagem, eu passei por alguns restaurantes que me receberam super bem. A seguir vou fazer uma listinha de onde comer na Chapada das Mesas com o nome e a localização de cada um deles.

  • Ritz Restaurante – com mais de 15 de tradição, o Ritz Restaurante é o primeiro restaurante de parrilada Uruguaia do Maranhão. É uma boa pedida para quem estiver de passagem em Imperatriz.
  • Pizzaria do Tio Pepeessa é a pizzaria queridinha de Carolina. Localizada no centro de Carolina, a Pizzaria do Tio Pepe conta com variados sabores de pizza e um preço bem atrativo.
  • Lanche Central – com um cardápio recheado de opções, o Lanche Central é um restaurante bem legal para quem quer comer algo mais rápido ou até mesmo uma refeição rápida.
  • Espaço Gourmet Carolina da comida japonesa ao hambúrguer. O Espaço Gourmet Carolina é outro restaurante super eclético no centro de Carolina que vale a visita. Eu, inclusive, comi um peixe delicioso por lá.

10. Quanto custa?

Agora vamos falar de preços? Como eu disse anteriormente, toda a minha viagem foi organizada pela Cia do Cerrado e o valor desse pacote, excluindo as refeições e gastos adicionais varia de acordo com o tipo de hospedagem e a época do ano em que você deseja contratar. Por exemplo, em apartamento quádruplo o valor do pacote por pessoa gira em torno de R$ 1.590 e em apartamento individual R$ 2.205.

Ou seja, pensando em um valor médio de R$ 1500 do aéreo + o pacote de passeios + R$ 25 por refeição, você consegue fazer uma viagem de 5 dias por cerca de R$ 3.750 por pessoa.


11. Dicas extras

  • Temperatura da água: se eu disser que a água das cachoeiras é uma delícia você vai acreditar? A temperatura varia de 22ºC a 26ºC dependendo da época do ano. Quando eu fui estava uma delícia;
  • Telefonia: As operadoras que funcionam melhor por aqui são Vivo e Claro. A Tim deixou muito a desejar com a velocidade da internet bem reduzida.
  • Dinheiro: Leve uma certa quantidade de dinheiro em espécie, porque em Carolina você só encontra Banco do Brasil, Banco Amazônia e Bradesco.
  • Voltagem: 220V
  • Seguro Viagem: caso você vá contratar uma agência para te auxiliar nessa viagem, confira se a mesma conta com o Seguro Viagem focado em Ecoturismo.

 Você curte as minhas dicas? Então já segue o @prefiroviajar no Instagram pra acompanhar as minhas viagens em tempo real! 

VAI VIAJAR? ENTÃO RESERVE AQUI!

Você sabia que quando você faz uma reserva com um link aqui no blog, nós ganhamos uma pequena comissão? Você não é taxado a mais por isso e ainda ajuda o Prefiro Viajar a produzir mais artigos de qualidade! Então, bora reservar?

Passeios e ingressos: TourOn e Get Your Guide
Hospedagem: BookingAirBnB e Hoteis.com
 Seguro viagem: Real Seguros, SafetyWing e Seguros Promo
 Passagens aéreas baratas: Passagens Promo
 Aluguel de carro: Rent Cars
 Dinheiro pro exterior: Transferwise

Sobre o autor

Amanda Antunes

Amanda Antunes

Olá! Eu sou Amanda. Sou publicitária, criativa e apaixonada por fotos e viagens. Ao todo foram 3 intercâmbios e 42 países visitados. São muitas histórias para contar, porque eu Prefiro Viajar!

1 comentário

  • Oi, gente. Vai a dica: se você costuma viajar, eu indico a LiberFly. Eles me ajudaram a receber uma indenização quando tive problema de overbooking. Indico porque é muito simples, só preencher um formulário no site deles e esperar a compensação!

Deixe um comentário